terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Procura-se um amor

Amor é importante e impotente é a sua necessidade. Sempre foi um mistério para todos, desde quem sente até a Ciência. Tratam-o como uma lei, e se você não o tem, não vive, não é feliz. Quem não o encontra é encalhado e ficará para a titia... Admitimos que é algo sutil e destruidor ao mesmo tempo, só entende quem sente, e nem quem sente entende. É o gosto da paixão abençoada ou amaldiçoada, correspondida ou não. É um segredo que só quem criou tem em mãos.

Untitled | via Facebook
Nunca subestimei o amor, mas admito que já duvidei. Não é algo fácil de decifrar, de todos os ares que ele deixa, os pensamentos que nos invadem, as borboletas no estômago ou um simples sorriso que tem um enorme significado. Sabe-se lá quem já entrou na aventura de tentar encontrá-lo ou desencontrá-lo. É como um cofre de ouro, que todos querem, todos almejam e procuram, mas raramente poucos encontram. O verdadeiro é forasteiro, intruso e muitas vezes parasita. Invade onde não é chamado e entra sem pedir permissão, sendo aquela visita indesejada que uns aceitam e outros pedem para se retirar. A diferença é que não tem como pedir gentilmente para ele se retirar, não tem como sentar e conversar com o amor, explicá-lo o quanto ele machuca, ou até quando a falta dele causa um vazio.

Jamais façamos deste sentimento um peso nos ombros, uma cruz a ser carregada, um segredo ou até um possível medo. Existem pessoas que sentem pânico só de ouvir a palavra, e perdem a chance de serem completamente felizes com as oportunidades que o coração oferta, até quando é algo bom. Sei que o coração também não deve ter suas portas e janelas escancaradas ao primeiro que chegar, mas é possível selecionar quem você tem prazer de mostrar seus mais ocultos desejos, segredos e esquisitices. É importante e inegável o porto seguro que ele se transforma, e a necessidade de o ter perto vinte e quatro horas por dia é indispensável. Não é loucura, é amor.

A falta dele dói, causa depressão, tristeza profunda ou apenas um vazio. A falta dele pode ser superada ou desgastante. Pode ser como cada um puder e quiser aceitar. Pode ser um mero detalhe, fazer parte dos planos futuros mas nada para agora ou para amanhã. Não tem hora para chegar nem para ir, mas, ó, quantos o buscam sem fim. Encontram qualquer um e entregam em si o coração puro e guardado para outro, quando não o encontram são substituídos para o presente. A paciência é o remédio para essa dor, e a esperança é a receita. Tudo tem seu tempo, todos dizem, mas poucos esperam. E, querida, esperar é melhor. Vai machucar, vai incomodar, coçar, rasgar, mas vai passar. Vai chegar, vai causar e pode ir embora. Cuide do que tens agora para não perder o que o futuro te guardas. Não esqueça de cada detalhe teu, enquanto não encontra um alguém para compartilhar, anote para o amanhã mostrar. Não se exalte nem se desespere, não procure loucamente, apenas espere. Vai valer a pena e chegará quando você menos esperar, um alguém que você mais esperou e vai ficar. Um mês, um ano, uma vida. Ficará.

Nenhum comentário

Postar um comentário